Rota Imperial no Espírito Santo.
Rota Imperial no Espírito Santo.

Rota Imperial no Espírito Santo: Ecoturismo, Gastronomia e História

A Rota Imperial no Espírito Santo representa uma jornada fascinante através da história, da cultura e da natureza brasileira. A Rota tem em seu ponto de partida no Palácio Anchieta, marcando um trajeto de 575 km em direção ao interior do estado. Inaugurada em agosto de 1816, a estrada foi concebida após o declínio da exploração do ouro em Ouro Preto, Minas Gerais. Essa rota, conhecida como Rota Imperial São Pedro D’alcântara, desempenhou um papel crucial no desenvolvimento da região Sul capixaba.

Além de seu valor histórico, a Rota Imperial destaca-se pelo potencial turístico, promovendo o desenvolvimento econômico dos 15 municípios capixabas ao longo do percurso.

1. Diferença Rota Imperial x Estrada Real

A principal diferença entre a Rota Imperial e a Estrada Real está na sua origem e finalidade. A Estrada Real foi criada no século XVII pela Coroa Portuguesa para facilitar o transporte de ouro de Minas Gerais até o Rio de Janeiro, evitando o pagamento de impostos. Por outro lado, a Rota Imperial, inaugurada em 1816, surgiu posteriormente e conectava Vitória, no Espírito Santo, a Ouro Preto, em Minas Gerais. Enquanto a Estrada Real visava ao escoamento do ouro, a Rota Imperial teve papel crucial no desenvolvimento da região sul do Espírito Santo, possibilitando a ocupação territorial e a chegada de imigrantes que contribuíram para a diversidade cultural local.

2. História da Rota Imperial

Rota Imperial no Espírito Santo.

2.1 Origens da Rota: Proibição da Coroa Portuguesa

No início do século XVII, a Coroa Portuguesa, em meio à decadência da exploração de minérios, proibiu a abertura de novas estradas no Espírito Santo em direção a Minas Gerais. Esta restrição, destinada a proteger a região contra invasores, foi um ponto crucial que deu origem à Rota Imperial.

2.2 Construção da Rota durante a Chegada da Família Real ao Brasil (1808)

A virada aconteceu em 1808, com a chegada da Família Real ao Brasil. Com a autorização para a construção de uma estrada ligando Vitória a Ouro Preto, a Rota Imperial começou a se materializar. A construção dessa rota estratégica, inaugurada em 1816, representou não apenas uma conexão geográfica, mas também um símbolo da ocupação territorial e da expansão do comércio entre as regiões ricas em Minas Gerais e o litoral capixaba.

2.3 Conclusão da Rota Imperial em 1816 e sua Contribuição para a Ocupação Territorial

A conclusão da Rota Imperial em 1816 foi um marco significativo na história do Brasil. Além de facilitar o transporte de bens preciosos como o ouro, possibilitou a ocupação territorial e a chegada de imigrantes que contribuíram para a diversidade cultural local. As trilhas estabelecidas ao longo dessa rota não apenas impulsionaram o comércio, mas também deixaram um legado cultural e histórico que ressoa até os dias de hoje.

3. Atividades Recomendadas para Turistas

Ao embarcar na fascinante jornada pela Rota Imperial no Espírito Santo, os turistas têm à disposição uma gama de atividades enriquecedoras para vivenciar ao longo do percurso. Desde experiências de turismo de aventura até imersões na rica cultura local, a Rota oferece opções diversas para todos os gostos. Abaixo, apresentamos algumas sugestões de atividades que certamente enriquecerão sua visita:

  • Turismo de Aventura:
    • Explore as trilhas desafiadoras que serpenteiam as montanhas e vales ao longo da Rota Imperial.
    • Aventure-se em atividades como escalada, ciclismo, rapel e tirolesa, proporcionando uma experiência única para os amantes da adrenalina.
  • Visitas a Fazendas:
    • Conheça as fazendas locais que preservam as tradições dos imigrantes europeus.
    • Participe de passeios guiados, descubra o processo de produção de café e queijos artesanais, e desfrute da hospitalidade única oferecida pelos habitantes locais.
  • Trilhas na Natureza:
    • Explore as trilhas que revelam a exuberante flora e fauna da Mata Atlântica.
    • Descubra cachoeiras escondidas, observe a variedade de orquídeas e bromélias, e encante-se com as paisagens naturais ao redor.
  • Passeios Culturais:
    • Visite os patrimônios históricos ao longo da Rota, como igrejas centenárias, museus e construções coloniais.
    • Participe de eventos culturais locais, festivais e feiras que destacam a identidade única de cada município.
  • Culinária Regional:
    • Delicie-se com a rica gastronomia local, experimentando pratos típicos preparados com ingredientes frescos da região, além de ótimas víniculas.
    • Visite restaurantes e feiras de produtores locais para vivenciar a autenticidade dos sabores da Rota Imperial.

4. Percurso da Rota Imperial

Mapa Rota Imperial Espírito Santo e Minas Gerais
Foto: Divulgação

4.1 Descrição do Trajeto

A jornada tem início no imponente Palácio Anchieta, em Vitória, a capital do Espírito Santo. A partir desse ponto histórico, a Rota Imperial serpenteia por uma extensa paisagem, atravessando 14 municípios capixabas até alcançar Ouro Preto, em Minas Gerais. Esse percurso de aproximadamente 575 km revela não apenas a distância geográfica, mas também um mergulho na história e na natureza exuberante dessas regiões.

4.2 Destaque para os Municípios

Ao longo do caminho, a Rota Imperial atravessa 14 municípios capixabas, incluindo Cariacica, Castelo, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Iúna, Ibatiba, Ibitirama, Irupi, Muniz Freire, Viana, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Venda Nova do Imigrante e Vitória, da qual abordaremos mais adiante cada um deles. Além disso, a rota alcança 17 municípios mineiros, conectando comunidades e preservando a riqueza cultural dessas localidades.

4.3 Ênfase nas Paisagens Naturais

Ao longo do percurso, a Rota Imperial se desenha em meio a paisagens naturais de tirar o fôlego. A Mata Atlântica abraça as trilhas, proporcionando uma jornada cercada por uma variedade única de flora e fauna. Montanhas majestosas, cachoeiras imponentes e a delicadeza de orquídeas complementam o espetáculo visual, criando uma experiência que vai além da viagem, transformando-se em uma imersão na própria essência dessas regiões. A Rota Imperial revela-se não apenas como um itinerário geográfico, mas como uma obra-prima da natureza e da história brasileira, esperando para ser explorada.

5. Atrações ao Longo da Rota Imperial

Ao percorrer a majestosa Rota Imperial, você se depara com uma série de municípios encantadores, cada um com suas próprias atrações e peculiaridades. Explore as maravilhas ao longo do caminho e descubra o que essas cidades têm a oferecer:

5.1 Castelo

Rota Imperial no Espírito Santo: Castelo, Espírito Santo.
Castelo. Foto: Divugalção.

Iniciando nossa jornada pelas atrações, Castelo se destaca por suas grutas misteriosas, cachoeiras exuberantes e um turismo de fé que permeia o Santuário de Aracuí. Suas fazendas de café contam histórias do Brasil colonial, proporcionando uma imersão na rica história do país.

5.2 Venda Nova do Imigrante

Festa da Polenta. Foto: Mosaico Imagem – Montanhas Capixabas

Venda Nova do Imigrante, a Capital Nacional do Agroturismo, harmoniza a beleza das Montanhas Capixabas com a rica herança cultural italiana. Destaque para experiências gastronômicas em fazendas e trilhas pela natureza exuberante.

5.3 Domingos Martins

Rota Imperial no Espírito Santo: O que fazer em Pedra Azul
Parque Estadual da Pedra Azul, a principal atração turística de Domingos Martins. Foto: Divulgação.

Para os amantes da natureza, Domingos Martins oferece opções de agroturismo, com fazendas produtoras de mel e cachaça. Os parques naturais revelam a influência dos imigrantes na serra capixaba, proporcionando experiências autênticas em meio à exuberância natural.

5.4 Irupi

O que fazer em Irupi
Irupi. Foto: Tadeu Bianconi

Localizada próxima ao Pico da Bandeira, Irupi atrai os aventureiros com diversas cachoeiras, como a Pedra da Tia Velha, ideal para esportes radicais. Seus cafezais e paisagens levam os viajantes a uma viagem no tempo.

5.5 Conceição do Castelo

Rota Imperial no Espírito Santo: Vale do Emboque.
Vale do Emboque. Foto: Prefeitura Conceição Castelo

Uma cidade tranquila e rica em agroturismo, Conceição do Castelo encanta com suas fazendas abertas à visitação, oferecendo cafés, queijos, pães e produtos artesanais que despertam o paladar. Cachoeiras e o Circuito Caminhos do Imperador completam a experiência.

5.6 Cariacica

Um município que mescla tradição e modernidade, Cariacica oferece opções culturais e naturais, como parques e espaços de lazer à beira da Baía de Vitória.

O que fazer em Cariacica
Reserva Biológica Estadual de Duas Bocas. Foto: Prefeitura de Cariocia / Cláudio Postay claudiopostay@gmail.com Estúdio V3.

5.7 Iúna

Rota Imperial no Espírito Santo: terceiro maior pico do Brasil
Parque Nacional do Caparaó, na divisa dos estados do Espírito Santo e Minas Gerais.

No coração das montanhas capixabas, Iúna atrai com sua beleza natural. Visite o Parque Nacional do Caparaó e explore as riquezas dessa região.

5.8 Ibatiba

O que fazer em Ibatiba
Ibatiba. Foto: Tadeu Gomes.

Com uma atmosfera acolhedora, Ibatiba é um convite ao turismo rural. Desfrute das belezas naturais, trilhas e da hospitalidade dos moradores locais.

5.9 Ibitirama

Rota Imperial no Espírito Santo: Parque Estadual Cachoeira da Fumaça
Parque Estadual Cachoeira da Fumaça. Foto: Naldo Satler

Emoldurado também pelo Parque Nacional do Caparaó, Ibitirama é um paraíso para os amantes da natureza. Explore trilhas, cachoeiras e aproveite a serenidade do ambiente.

5.10 Muniz Freire

O que fazer em Cachoeira da Glória - Muniz Freire
Cachoeira da Glória – Muniz Freire. Foto: Divulgação.

Conhecido por sua rica história, Muniz Freire oferece patrimônios históricos, igrejas encantadoras e uma atmosfera que remete ao passado.

5.11 Viana

Rota Imperial no Espírito Santo: Igreja de Nossa Senhora da Ajuda em Viana.
Igreja de Nossa Senhora da Ajuda. Foto: Divulgação/PMViana

Com cachoeiras exuberantes, trilhas desafiadoras e um patrimônio cultural fascinante, Viana é um tesouro capixaba repleto de experiências inesquecíveis.

5.12 Santa Leopoldina

Rota Imperial no Espírito Santo: Santa Leopoldina
Santa Leopoldina. Foto: Divulgação.

Nesta cidade da Serra Capixaba, cultura, história e natureza se entrelaçam. Explore construções coloniais e desfrute das paisagens deslumbrantes.

5.13 Santa Maria de Jetibá

Rota Imperial no Espírito Santo: Santa Maria de Jetibá
Santa Maria de Jetibá

Imersa na cultura pomerana, Santa Maria de Jetibá convida os visitantes a explorar suas tradições únicas, museus e a exuberância da natureza local.

Saiba mais: Santa Maria de Jetibá: Cultura Pomerana e Natureza Encantadora no ES

5.14 Vitória

10 Passeios imperdíveis em Vitória
Vitória. Foto: Divulgação.

A capital capixaba, conhecida como Cidade Sol, encerra a Rota Imperial com suas belíssimas praias, museus e parques, oferecendo uma experiência cultural e histórica única.

6. Cultura e Tradições

Ao percorrer a Rota Imperial, é impossível não se envolver nas ricas tradições culturais deixadas pelos imigrantes europeus que encontraram refúgio nessas terras. Neste capítulo, exploraremos a essência dessa herança, destacando eventos marcantes, a gastronomia característica e festivais que enriquecem a experiência ao longo do trajeto.

6.1 Tradições dos Imigrantes Europeus

A Rota Imperial é um testemunho vivo das tradições dos imigrantes europeus que colonizaram essas regiões. Italianos, alemães, pomeranos e austríacos e tiroleses deixaram um legado cultural que resiste ao tempo. As práticas e costumes desses povos são transmitidos de geração em geração, enriquecendo a identidade local.

6.2 Eventos Culturais e Festivais

Ao longo da rota, eventos culturais proporcionam uma imersão ainda mais profunda na herança dessas comunidades. Festivais celebram a música, dança, gastronomia e artesanato, destacando a diversidade cultural desses grupos. Esses eventos oferecem uma oportunidade única para os viajantes vivenciarem as tradições de maneira autêntica.

6.3 Gastronomia Típica

A gastronomia ao longo da Rota Imperial é uma celebração dos sabores trazidos pelos imigrantes. Delicie-se com pratos típicos italianos, alemães e de outras origens, preparados com receitas tradicionais que resistiram ao teste do tempo. A experiência gastronômica ao longo da rota é uma verdadeira viagem pelos paladares dessas culturas distintas.

6.3 Experiências Autênticas

Participe de eventos de dança folclórica, prove pratos tradicionais em festivais gastronômicos e descubra a arte local em mercados de artesanato. Essas experiências autênticas não apenas enriquecem a viagem, mas também proporcionam uma compreensão mais profunda das tradições que moldaram a identidade das comunidades ao longo da Rota Imperial.

Conclusão

A verdadeira magia da Rota Imperial reside na diversidade de experiências que ela oferece. Seja você um entusiasta de aventuras ao ar livre, um apreciador da história e cultura locais, ou alguém em busca de sabores autênticos, a Rota Imperial é um tesouro de possibilidades. A cada parada, os turistas têm a oportunidade de se conectar com a essência única de cada município, enriquecendo sua jornada com memórias inesquecíveis. Explore, descubra e mergulhe nas experiências que a Rota Imperial no Espírito Santo tem a oferecer.

COMPARTILHE:

26 respostas

    1. Pegue uma moto,escolha um ponto de partida e siga os marcos.onde tiver q virar,o marco estará naquele lado…da pra se virar sozinho

      1. Fiz de bike sozinho. Passeio inesquecível, sem nenhum problema. Foram 8 dias. Passeio prá fazer sem presa. Saí de Ouro Preto à Vitória.

        1. Bom dia, Marco! Me fale sobre as condições ou estado das estradas durante o percurso? Eu pretendendo conhecer, mas meu carro é baixo e não é 4/4.

  1. Muito interessante. Acredito que colocar os municípios na mesma ordem da estrada facilitaria a compreensão do roteiro. Mas gostei da estrada. Pretendo percorre-la em breve.

    1. Olá, Arnaldo. Seria interessante se houvesse para promover ainda mais o turismo na região. Até lá, vamos continuar fazendo a nossa parte por aqui 🙂

  2. Ainda no ES se encontra marcos da Rota Imperial, mas em MG são praticamente inexistentes, fazendo com que o percurso seja impeditivo, mas muitos ciclistas percorreram todo o trajeto, tanto Vitória x Ouro Preto, como Santa Leopoldina x Ouro Preto. Aliás, a estrada inicial era esta, a partir da primeira cachoeira de Santa Leopoldina, e era conhecida como “Estrada do Rubim”, que no período colonial governava as terras capixabas, segundo registro no livro de história de Misael Penna.

  3. Parece uma cópia da proposta mineira da Estrada Real… Sei que o estado do ES é meio inviabilizado no Sudeste. Mas penso que não deveriam forçar a barra tentando promover apenas o estado do Espírito Santo e levar o crédito sozinho pela rota, mesmo porque pelo que entendi tem muito mais municípios mineiros do que capixabas no percurso que querem propor… E a matéria é tendenciosa falando como se fosse apenas no estado do Espirito Santo… Em Minas ninguém conhece esse percurso e se não derem o devido crédito para MG, ninguém vai apoiar… E vamos combinar que sem o estado de Minas Gerais essa estrada nao tem o menor sentido.

    1. Olá Mônica, como vai? Gostaria de esclarecer alguns pontos mencionados no seu comentário.

      1 – Talvez não tenha tido uma compreensão clara em relação ao nosso artigo. O título é “Rota Imperial no Espírito Santo”, o que indica que abordaremos os municípios deste estado. Quando tratarmos do artigo sobre a Rota Imperial em Minas Gerais, nos concentraremos exclusivamente nos municípios dessa região.

      2 – O nosso blog é organizado por categorias, e o artigo que você leu está na categoria Espírito Santo. Portanto, é natural que o foco esteja nesse estado…

      3 – Quanto ao seu comentário “Em Minas ninguém conhece esse percurso e se não derem o devido crédito para MG, ninguém vai apoiar…”. Não deixaremos de falar sobre os lugares belos do Brasil só porque alguns podem não ser conhecidos por todos. Amamos Minas Gerais e os mineiros, e é um pouco pretensioso assumir que você representa o pensamento de todos pessoas desse belo estado. Mesmo que apenas 1% do nosso público nos apoie, ficamos satisfeitos, pois não buscamos agradar a todos.

      Nosso objetivo é promover o Turismo de Natureza no Brasil. Acreditamos que a natureza é a nossa maior riqueza.

      Não temos a intenção de criar rivalidades entre os estados, e é uma pena que isso pareça estar acontecendo na sua percepção.Na página inicial do blog, havíamos destacado que, nas próximas semanas, abordaríamos o Estado do Espírito Santo, e agora estamos explorando o Rio Grande do Sul, e assim por diante.

      Desejo a você um ótimo ano cheio de viagens!

      1. Parabéns pela resposta “esclarecedora “ e também pelo trabalho apresentado sobre a Rota Imperial.

  4. Nasci em Sericita – MG , cidade bem próxima desta região. Pretendo fazer este percurso da Estrada Imperial de Manhã MTB . Deve ser muito bonito, acho lindo estas regiões de montanhas com muito verde e mata atlântica. Não sabia que existia esta estrada tão bacana. Obrigado

    1. Olá, Joaquim! Agradecemos pelo seu contato. Continue nos acompanhando e descubra que o Brasil possui lugares incríveis ainda a serem descobertos.

  5. Gostei da matéria. Tenho desejo de algum dia visitar algumas dessas cidades, mas em datas de festas culturais como a da banana, da uva, do morango etc… . Vocês poderiam publicar matérias informando as datas festivas dessas regiões?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Usamos cookies em nosso site para fornecer a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas. Ao clicar em “Aceitar”, concorda com a utilização de TODOS os cookies.