Serra da Capivara: O que fazer? Passeios imperdíveis

O Parque Nacional da Serra da Capivara é considerado um dos maiores tesouros arqueológicos do mundo. Confira tudo sobre o destino!

pintura rupestre símbolo serra da capivara Arte rupestre símbolo da Serra da Capivara. Foto Divulgação.

O nordeste brasileiro guarda verdadeiras preciosidades. Uma das maiores e mais importantes é a Serra da Capivara, localizada no sertão do estado do Piauí. O local abriga um parque de mesmo nome que detém a maior coleção de arte pré-histórica ao ar livre do mundo.

Fundada no final da década de 70 e tombada como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1991, a unidade de conservação conta com mais de mil sítios arqueológicos / paleontológicos – 172 deles abertos à visitação –, mais de 35 mil pinturas rupestres e grafismos que (pasme) ultrapassam os 60 mil anos.

Além do valor histórico inestimável, a área do parque constitui ainda 40% da caatinga brasileira e é formada por um conjunto de quatro Serras – Serra da Capivara, Serra Branca, Serra Talhada e Serra Vermelha – que apresentam diferentes ambientes e paisagens. Desse modo significa que os visitantes não somente terão a oportunidade de conhecer de perto um dos maiores tesouros da humanidade, como estarão frente a frente com belezas naturais surpreendentes. Sem dúvida uma experiência imperdível!

Quer saber mais sobre esse destino incrível? Então fique conosco!

Serra da Capivara – Infraestrutura

O Parque Nacional da Serra da Capivara apresenta uma excelente infraestrutura, dessa maneira encontramos sinalização por todos os lados, trilhas demarcadas e guias treinado. Além disso possui 17 dos 172 pontos de visitação para fácil acesso aos cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida.

É possível visitar o parque diariamente das 6h às 18 e o acesso pode ser feito apenas com guias credenciados. O valor da entrada varia:

R$ 17 para brasileiros; R$ 18 para brasileiros;
R$ 26 para cidadãos do Mercosul; R$ 27 para cidadãos do Mercosul;
R$ 34 reais para o restante dos estrangeiros. R$ 36 para o restante dos estrangeiros.

Os valores dos ingressos foram reajustados de acordo com Portaria nº 547, de 27 de setembro de 2019 e que entraram em vigor em no dia 01/11/2019.

Fique ligado(a): maiores de 60 anos e menores de 12 anos não pagam ingresso.

Os guias, por sua vez, podem ser contratados através agências de turismo ou na própria portaria do parque. O valor da diária é padronizado em R$150 reais para grupos de até 8 pessoas.

Atrações imperdíveis

O Parque Nacional da Serra da Capivara oferece 14 circuitos compostos por diversas trilhas que levam até os sítios arqueológicos, no entanto listamos os principais pontos turísticos que você não pode deixar de conhecer.

Baixão da Pedra Furada

É o mais frequentado circuito do Parque Nacional da Serra da Capivara, sendo assim será necessário passar 1 dia inteiro para explorar as principais atrações deste lugar, sendo elas:A Pedra Furada, a Toca do Boqueirão da Pedra Furada e o Sítio do Meio.

Pedra Furada

Serra capivara - pedra furada Pedra Furada. Foto: Divulgação.

A Pedra Furada, no Circuito Baixão da Pedra, é o cartão-postal do Parque Nacional da Serra da Capivara. Inegavelmente o buraco aberto pela ação da natureza chama a atenção.

Toca do Boqueirão da Pedra Furada

Baixão da Pedra Furada - serra da capivara Atração mais visitada do parque, o Baixão da Pedra Furada que tem como principal sítio o Boqueirão da Pedra Furada. Foto Divulgação.

A Toca do Boqueirão da Pedra Furada é nada mais, nada menos, do que o maior sitio arqueológico da região. Para se ter uma ideia, essa parte do parque abriga mais de mil pinturas rupestres datadas entre 3 a 12 mil anos. A noite o local ganha uma iluminação toda especial, o que torna ainda melhor as visualizações das pinturas.

Sítio do Meio

Serra da Capivara - sítio do meio Sítio do Meio. Foto: Egberto Araújo (flickr).

O sítio do meio apresenta pinturas rupestres das mesmas características da Serra da Capivara e Serra Talhada. Nesse circuito pode ser combinado uma caminhada até o mirante Ponta da Pedra, dessa forma encontrará uma vista panorâmica para a Pedra Furada e região. Com toda a certeza um passeio que vale a pena.

Serra Vermelha

Serra Vermelha - Serra da Capivara Serra Vermelha – Serra da Capivara. Foto Divulgação.

A Serra Vermelha abriga, simplesmente, a maior biodiversidade do sertão nordestino. A área possui cerca de 12 mil hectares e abriga três tipos de Biomas: Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga. Por certo a atração é bastante procurada por aventureiros de plantão que vem em busca de adrenalina e trilhas mais selvagens.

Museu do Homem Americano

Museu do Homem Americano - Serra da Capivara Museu do Homem Americano. Foto: Flavio Veloso.

Apaixonados por História não podem deixar de dar um pulo no Museu do Homem Americano. Localizado no município de São Raimundo Nonato, o estabelecimento reúne um acervo com mais de 90 peças que foram encontradas nos sítios arqueológicos da Serra da Capivara. Além disso é possível ver ossadas, seixos, objetos e fragmentos de cerâmica milenares de pertinho. Vale a visita!

O museu faz parte da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM), sendo assim, ela foi gerada para preservar o Parque Nacional e seu acervo cultural e natural. A instituição integra diversas atividades científicas e culturais, no âmbito das ciências humanas, biológicas e da terra, bem como em trabalhos em benefício da sociedade.

Baixão das Andorinhas

Baixão das Andorinhas - Serra da Capivara Baixão das Andorinhas. Foto: Augusto Pessoa.

O Baixão das Andorinhas é uma das principais atrações da Serra Vermelha e marca um verdadeiro espetáculo da natureza: todos os dias, às 18h, pontualmente, um enorme grupo de andorinhas promove sua revoada. Sem dúvida um espetáculo!

Trilha do Hombu

Trilha do Hombu - Serra da Capivara Trilha do Hombu. Foto: Joaquim Neto.

Aventurar-se pela Trilha do Hombu é descobrir a beleza de diferentes biomas. O circuito oferece trilhas com diferentes graus de dificuldades que conduzem a diversos sítios arqueológicos. Aliás para quem não tem medo de adrenalina, a dica é conhecer o imponente mirante presente na atração que é acessado através de uma “escada” cravada em uma fenda. Então prepare a emoção!

Desfiladeiro da Serra da Capivara

Desfiladeiro da Serra da Capivara - Serra da Capivara Baixão da Vaca. Foto Divulgação.

Esse circuito passa por um enorme cânion com inúmeras paradas para desbravar cerca de dez sítios arqueológicos. No local, os visitantes encontram diversos atrativos naturais que são acessados através de trilhas como o Mirante Baixão da Vaca e a Toca do Inferno, gruta localizada entre paredões rochosos com formações geológicas de tirar o fôlego.

Museu da Natureza

Museu da Natureza - Serra da Capivara Museu da Natureza. Foto: André Pessoa.

O museu em forma de espiral possui doze salas de exposições. Dessa maneira diversas atrações são disponibilizadas, dentre elas: Exposição da origem do universo, sistema solar, da Terra, da vida, do clima e da atmosfera com oxigênio. Já para os dinossauros, esses ganharam uma sala inteira com esqueletos que foram encontrados na região, bem como projeções em 3D que simulam os ambientes onde viveram.

Serra das Confusões

Serra das Confusões Serra das Confusões. Foto: Leonardo Ramos (wikipedia).

Por fim nossa última atração não fica exatamente no Parque Nacional da Serra da Capivara, no entanto vale a pena dar uma esticada até a Serra das Confusões. Sendo assim esse destino está a 90 km da Serra da Capivara, dentro do município de Caracol.

O Parque Nacional da Serra das Confusões apresenta diversos atrativos naturais, tais como grutas, cavernas e formações rochosas milenares. Inclusive em um dia você consegue conhecer todos eles. Vai lá?!

Quando ir?

A melhor época para visitar a Serra da Capivara é entre os meses de novembro a janeiro, quando a vegetação do parque fica ainda mais em evidência. Neste período, inclusive, não é raro conseguir avistar veados, tatus, macacos prego e, com sorte, até a majestosa onça-pintada. Aliás é importante ressaltar que a região é quente o ano todo, portanto, fique atento(a) as altas temperaturas, combinado?

Como chegar?

São Raimundo Nonato São Raimundo Nonato está entre as 10 cidades mais bonitas do Piauí. Foto Divulgação.

Existem dois principais pontos de referência para chegar ao Parque Nacional da Serra da Capivara: as cidades de Petrolina (PE) e Teresina (PI). Seja como for, de ambas as cidades saem ônibus para o município de São Raimundo Nonato, onde fica a sede do parque. Veja os trajetos:

De avião

O município de São Raimundo Nonato possui um aeroporto, o Aeroporto Internacional Serra da Capivara, entretanto, o local está fechado e não há previsão de reabertura. Por outro lado existem voos direto para Teresina (PI) e Petrolina (PE) saindo dos principais aeroportos do país. Portanto esses 2 são os aeroportos mais próximos do parque.

De ônibus (intermunicipal)

Teresina (PI)

Para quem sai de Teresina (PI) em direção ao município de São Raimundo Nonato é possível pegar um ônibus por duas empresas: Transpiauí e Princesa do Sul. Passagens a partir de 100 reais.

Petrolina (PE)

Se você optar por vir pela cidade de Petrolina (PE), a empresa responsável pelo percurso até São Raimundo Nonato é a Gontijo . Passagens a partir de 77 reais.

• De carro

Teresina (PI)

O acesso por Teresina (PI) é feito pela BR-343 até o município de Floriano. A partir desse ponto, deve-se pegar a PI-140 até São Raimundo Nonato. São 530 km no total.

Petrolina (PE)

Saindo de Petrolina (PE), siga pela BR-407 até chegar no Posto Fiscal de Pipocas (PI). A partir deste ponto, pegue a estrada em direção a Queimada Nova até chegar em São João do Piauí (PI). Por fim, siga pela BR-020 sentido destino final: São Raimundo Nonato.

O que levar na viagem?

  • Calçado confortável
  • Chapéu ou boné
  • Meias confortáveis
  • Óculos de sol
  • Roupa de banho
  • Protetor solar FPS 30 ou superior
  • Repelente
  • Câmera fotográfica
  • Chinelos
  • Medicamentos pessoais

E aí, curtiu o nosso artigo sobre a Serra da Capivara? Já conhece ou pretende conhece-lo? Conta aí pra gente!

Compartilhe aí com os seus amigos e ajude a divulgar esse Turismo de Natureza Piauiense não muito conhecido pelos brasileiros.

Veja também: